Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Quase Diário

O Quase Diário

lembrei-me.

30.11.19, Joana Cavalcanti

 

IMG_20191121_213322_608.jpg

 

se fosse outra coisa na vida, seria uma playlist, bem cheia de canções. 

nem sei explicar o impacto que a música tem sobre mim (bem...cá em casa na verdade! casei por causa dela!). mas pode definir várias Joana's, entre elas a verdadeira, a que não precisa de agradar, a que se sente bem na sua pele, a que calça uns botins pretos de atilhos, jeans, camisolão de malha cozy tom creme, mini-médias argolas douradas, um fio, uma mala (preta...dá para perceber a atracção pela cor...costela de Maria Olinda Castanheira Lourenço), a que dá mais cinco à ansiedade e aprende de novo a viver com ela crónicamente que nem companheiras de vida, com histórias longas para contar já nos 80's. começou na "Last Nite" foi à "Under Cover Of Darkness", dos The Strokes, caiu lágrima, abanar de ombros e cabeça dos bons, de ouvir música bem alto nos phones e incomodar os vizinhos... Sou Eu.

lembrei-me do cd que a minha pen-pal Jess me enviou nos meus 16 anos com algumas destas canções que se fizeram minhas;

lembrei-me de hoje, como é bom calçar as botas pretas e vestir um camisolão cozy, beber um chá quente.

lembrei-me de mim. do que quero. do que sou. 

 

Ten decisions shape your life, You'll be aware of 5 about, 7 ways to go through school, Either you're noticed or left out, 7 ways to get ahead, 7 reasons to drop out, When I said 'I can see me in your eyes', You said 'I can see you in my bed', That's not just friendship that's romance too, You like music we can dance to, Sit me down, Shut me up, I'll calm down, And I'll get along with you, There is a time when we all fail, Some people take it pretty well, Some take it all out on themselves, Some they just take it out on friends, Oh everybody plays the game, And if you don't you're called insane, Don't don't don't don't it's not safe no more, I've got to see you one more time, Soon you were born, In 1984, Sit me down, Shut me up, I'll calm down, And I'll get along with you, Everybody was well dressed, And everybody was a mess, 6 things without fail you must do, So that your woman loves just you, Oh all the girls played mental games, And all the guys were dressed the same, Why not try it all, If you only remember it once, Oooh ooooooh, Sit me down, Shut me up, I'll calm down, And I'll get along with you, okay one more time)

Sobrinhos

23.11.19, Joana Cavalcanti

Querido Mano (para quando fores mais velho):

É Natal e ficamos lamechas, escrevemos aquilo que cá de dentro vêm.

Não vou ter filhos, a vida não me deu essa qualidade nem possibilidade, e postura para. (E não me chateiem com a m**** do depois mudas de ideias! ). 

Desabafos à parte, Guigo o que queria dizer é que calhou-te a ti ter uma catrefada de filhos! Que vão visitar a tia velha ao lar e em vez de um rebuçado saem de lá com um cd ou um livro, uma carta de amor antiga.

Porque sim, é este meu gosto e pessoa Ecléctica que lhes quero mostrar e passar. Que o mundo não bater a bota com a perdigota pode resultar em coisas incríveis. (sobertudo na imaginação).

Que Eles vão encontrar duas personagens de filme; uma que aos 30 resolve voltar a calçar sapatilhas de Ballet (pretas...repara no promenor da tua irmã!), outro que se assume excentrico sem complexos (a vida é estranha de mais para estarmos fechados sobre a nossa essência), e resolve dar a entrada para um Tesla que parece um boneco de lego.

Vai haver um gato com quem falamos como se fosse pessoa - "gogos, fecha o estore"... não, não somos parvos, mas ao vivo tem a sua piada olhar para um gato e manda-lo fazer coisas. 

Que às vezes temos sonhos e a tal de vida não nos deixa ir atrás, mas! podemos reformular tudo em equação feita pela mãe, e o igual vai ser sonho novo. E melhor, depois aprendes a fazer isso por ti. 

Tens uma casa de onde eles trazem histórias de futebol, e entram numa com memórias de concertos e festivais. 

Seremos os anos 60 e 70 deles.

Seremos sempre a lição de abrandar, porque a cereja no topo do bolo pode custar caro nos sonhos.

Rodrigo, Prometo ficar bem.

ir...

04.11.19, Joana Cavalcanti

pexels-photo-2842734.jpeg

Deixa ir.

Verbo Esquecer. Valsa no salão. Os sonhos que já não habitam em si. 

Corre solta como a brisa em Florença, experimenta Roma de bicicleta. Mas faltam os sonhos. Aqueles sonhos... Hoje e todos os dias há um vazio de quem não os tem. Fugiram de si? Ou deixou-os escapar?

Ensinaram-lhe a manter o nariz romanesco para cima. Mas descai. Descai a testa, os olhos, e então o romanesco nariz e lábios.E então cai no tal de Vazio, buraco escuro, casa de bruxa má como nas histórias que lhe contaram em pequena.

Que isso fique entre Nós

02.11.19, Joana Cavalcanti

795906af5bba141def4ac73c09ce710c.jpg

Que isso fique entre Nós, que te vou amar sempre.

Que marcaste a minha vida como ninguém e apoias-me, pé ante pé a caminhar nesta queda que dei. Isso faz de Ti Incrível.

Que mil beijos já te roubei. Que o nosso gato é pateta e não caça moscas. Que adoro quando chega a hora de ir deitar e também vens, porque já custa dormir sem aquele quentinho teu.

Que me fazes chá de menta ou menta-gengibre sem te pedir. Que gosto de ti para sempre. 

Que isso fique entre Nós, que já acabamos as frases um do outro, como quem chega a velhinho. Sinal de bom caminho. 

Que te gosto de ver entrar em casa com pão acabado de comprar no Sr. Manel. Que te preocupas com o meu frio. 

Que não gostas de tarefas domésticas nem eu. (quem gosta?)...que és hipocondríaco e em 2020 ainda vamos falar das tuas supostas costelas "partidas".

Que tive a sorte de olhares para mim e te apaixonares...