Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Quase Diário

O Quase Diário

I remember you well

07.08.20, Joana Cavalcanti

pexels-photo-3250240.jpeg

 

Ponho a tocar a minha canção de amor preferida. 

Talvez um dia te escreva uma também com nome de filme, nome de Hotel.

Onde te digo que não sei viver sem ti por mais orgulho que tenha. 

Por agora ouço Leonard Cohen, nestas vozes que me elevam, 

Desfolho um livro de pintura ao sabor de uma cevada quente.

Dormes já.

Uma vez mais são 4h da manhã e finjo ter sono ao som da melodia

Não quero que acabe.

Porque é que as canções seguem o ritmo da vida?

Fluem e chegam sempre ao fim da linha.

Deviam ser proibidas.

Assim como certos amores de estremecer.

Tu e Eu. 

Forno já ligado; Batata doce

Fizeste tu o jantar. 

Sentei-me ao computador

Nem mais um beijo te dei

"I need you, I don´t need you; I need you, don´t need you"

nariz ao alto e voz de cabeça no ar

sem consequência que o "Lembro-me de ti" pode chegar

Mas à minha maneira amo-te até à "lua e saturno".

I don't mean to suggest that I loved you the best
I can't keep track of each fallen robin
I remember you well in the Chelsea Hotel
That's all, I don't even think of you that often

Cevada quente a fumegar

Um Picasso.

Música. Sempre.

Assim como Tu.