Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Quase Diário

O Quase Diário

começa assim: umas dr martens

26.10.19, Joana Cavalcanti
umas dr martens com um vestido vintage bazaar. um concerto da Julia Michaels que não pode faltar. um livro. escrever um livro de crónicas ou destas frases pontuadas meias prosa meio poesia meio um fuck up gramatic rules. misturar línguas. asneiras com classe. uma crise de pânico - tomar um xanax, pegar nos phones e aos poucos mexer os membros - acabar a dançar, dançar a sério até caírem lágrimas. porque o pânico foi."cause I got issues, and you got them too, so give them all (...)

Hunger

23.10.19, Joana Cavalcanti
  então oiço a Fada Florence a cantar a Hunger; liberto todas as pragas e feitiçarias que alguma bruxa possa ter pegado. Sou livre. Com as minhas fomes, tantas vezes em lugares trocados ..."... for a moment I forget to worry".

and from now on you're my address...

22.10.19, Joana Cavalcanti
  Sozinha em casa, os vizinhos de cima estão a discutir, e sem sentido desato a chorar. É isto que uma depressão faz. Além de fragilizar relações. Tira palavras, corta momentos, arrefece corações a comprimidos de dormir. Cria corda-bambas por onde vamos ter de caminhar passinho a passinho, nada como os sonhos que levamos em mente.  Recuamos e testamos a calçada em caminhadas, tentando cada vez ir um pouquinho mais longe que da vez anterior. Damos as mãos e aproveitamos o calor.  (...)

Fall

16.10.19, Joana Cavalcanti
Chega a minha estação preferida.  Outono. Altura de tirar pó ao 'red' e por a tocar, agora acompanhado da 'lover' ao piano...altura de pensar em ti e amores para sempre, em folhas caídas no chão, camisolas de malha quentinhas e chá de menta-gengibre ou maçã-canela, em coincidências que escrevi um dia com 26 anos e que aos 29 se realizaram. "provavelmente (quase de certeza), vou casar sem vestido feito à medida nem de catálogo. provavelmente vai ser de túnica branca de (...)

do diário - 19/1/2016

14.10.19, Joana Cavalcanti
sentou-se com ela no starbucks. beberam chá e comeram um muffin. disse-lhe que estava preocupado, disse-lhe que andava a destruir-se a ela mesma. perguntou-lhe porque é que tinha deixado o bem-estar que tinha encontrado há uns tempos noutra "viagem". ela ouvia-o com atenção, ele sabia as respostas todas, documentava-lhe em perguntas cada uma delas. antes desta conversa tinham dado um longo abraço no pateo que está na saída das escadas rolantes ao lado da área. ela olhou-o com (...)