Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Quase Diário

O Quase Diário

The 1

06.08.20, Joana Cavalcanti
Já passaram o quê? 10, 12 anos? Ainda te lembras de mim? Do tempo que herdaste a olhar-me de alto a baixo, sem me conhecer, sem me falar. O Encontrão no corredor do piso 3. O café que tomávamos todos os dias à mesma hora, o raspão pele-com-pele naquele verão. O teu tropeção quando me maquilhei bem à séria. But it would've been fun...If you would've been the one Seriam 2 ou 3 filhos? Férias no Algarve, gelado santini ao fim de semana. Tu no topo de carreira, eu em casa com (...)

So, I showed up at your party

02.08.20, Joana Cavalcanti
Era o Frederico. Tínhamos sido colegas de escola desde os 6 anos. Ele era um ano mais velho tinha agora 17. Tínhamos saído os dois do colégio. Íamos para a pública. Íamos deixar de ser colegas. O Fred apareceu de skate à minha porta e enquanto eu o despachava ao portão, aparece a minha mãe a convidá-lo para entrar... lembro-me de ter ficado furiosa, (na altura eu só via o Tomás à frente). Subimos as escadas com um saco de mini Sneakers e fomos ver um filme sozinhos para o (...)

Agosto

01.08.20, Joana Cavalcanti
Dizem que agosto é mágico. Ela vê aquele agosto como o primeiro agosto em que sentiu luzes reluzir, pirilampos e borboletas, céu cor de rosa no por do sol. (Porque até antes agosto era só aquele mês clichê em que todos vão de férias. Agosto nunca mais foi clichê). Recorda de cor o largo dos correios para onde foi a pé. 23. Foi lento e acelaradissímo o compasso dos passos, ri... coração que lhe pisca o olho. Ele estava nervoso fora do Smart cinzento encostado à porta. Aí (...)

começa assim: umas dr martens

26.10.19, Joana Cavalcanti
umas dr martens com um vestido vintage bazaar. um concerto da Julia Michaels que não pode faltar. um livro. escrever um livro de crónicas ou destas frases pontuadas meias prosa meio poesia meio um fuck up gramatic rules. misturar línguas. asneiras com classe. uma crise de pânico - tomar um xanax, pegar nos phones e aos poucos mexer os membros - acabar a dançar, dançar a sério até caírem lágrimas. porque o pânico foi."cause I got issues, and you got them too, so give them all (...)

Quase Diário | Isabel. [Todas por uma]

21.03.19, Joana Cavalcanti
 Acabou de dar a reportagem na SIC do teu novo projecto. Xave. Com o Rodrigo GdC.Estava entre mantas com o meu marido no sofá e caíram-me lágrimas. E se soubesses as que caem agora a ouvir esta música...tão bonita!Num repente o Colégio. E tínhamos 10, (...)

Do Diário \\ 2

08.03.19, Joana Cavalcanti
(ler com a música): um corpo tenso torna-se de bailarina contemporânea. agora que dormes faço da sala estúdio de dança. o gato observa. (não duvides da minha técnica artística) rodopio, deslizo no chão, os braços explodem com o som, paraliso propositadamente em certas partes da melodia para criar dramatização, as minhas costas não perderam ponta de flexibilidade. simulo uma barra de ballet e em graça atiro em leveza o corpo para trás que nem Gisele. em fúria empurro a (...)

Igual a Ti

13.01.19, Joana Cavalcanti
Ponho a Taylor Swift em volume máximo, desta vez sem me importar com os vizinhos, bato dois ovos a cantarolar e de avental vestido. Chateio o meu gato com festas, e de seguida chateio-me com ele por ter posto a pata nos ovos batidos...Danço e Canto entre (...)

Do Diário: Ainda Sobre Amor Próprio ( Carta ao Eu e ao Ele)

16.11.18, Joana Cavalcanti
Esta carta de amor foi escrita à uns bons 3 anos atrás, com 25/26 anos, quando percebi que sem amor próprio seria impossível amar ao máximo o outro (os outros), nos mais ínfimos detalhes, perder-me horas neles, não julgar tantas vezes mas ver uma diferença com a qual podemos conhecer outro mundo que enriquece o nosso.  Vamos crescendo, aprendendo a gostar das nossas cicatrizes, estrias, o que for que conte histórias e que antes eram pesadelos. No fundo, vamos sendo felizes com (...)

Carta de Amor

31.10.18, Joana Cavalcanti
Dormes comigo, mesmo nos meus dias maus, aqueles dias de ataques de pânico e ansiedade em que o meu medo de tudo e de nada leva a racionalidade embora. Dormes comigo nos dias maus, nos dias de olheiras, nos dias em que acordei a chorar, nos (...)